sábado, 19 de Julho de 2008

CARTA - FIM DE ANO

Chegou o dia 20 de Junho. Último dia de aulas. Dia de mais uma das nossas festas. Alunos e familiares, eu e algumas amigas. Festa de despedida? Não! Não nos podemos despedir daquilo e daqueles que tanto nos prenderam.



Entrega de mensagens de agradecimento aos pais e colaboradores

Entrega de diplomas e fitas

A mais linda prenda que podia receber: um livro de mensagens dos meus alunos

Outra prenda com sabor especial (os meus alunos sabem porquê): um vaso com sementes de magnólia

A prenda mais engraçada: uma t'shirt assinada por todos

Contrariando a perspectiva deste blogue, publico a carta que escrevi aos meus amigos alunos, porque ela espelha, não o dia da festa (porque foi secundária), mas a festa que vivemos durante dois anos.


Évora, 18 de Junho de 2008

Queridos alunos,

Fui ao meu terraço e vi a Lua. Lembrei-me de vocês e comecei outra vez a sentir saudades do que ainda tenho e, por isso, resolvi escrever-vos uma carta, para vos contar ou recontar algumas coisas muito bonitas que me aconteceram por vos ter conhecido.
Começo por vos falar de uma manhã de Setembro de 2006. Nessa manhã, não foi a primeira vez que vos vi. Mas foi primeira vez que senti os vossos olhitos desconfiados e ansiosos a tentar adivinhar como seria eu, mais uma professora que ia entrar na vossa vida.
Esse dia de Setembro foi muito inquietante e muito estranho para mim. Não vos sei dizer exactamente quando começou a acalmar este mar de estranhezas. Sei que me foram conquistando e que vocês foram, aos poucos e poucos, habitando o meu coração que, muitas vezes, quase rebentou de tanto sorrir.
Nesta caminhada doce de dois anos, feita de tantos encontros e desencontros, de dias cinzentos e de dias muito coloridos, fui aprendendo muito com vocês. Fui aprendendo com a vossa sabedoria, com a vossa irreverência de crianças e com as experiências tão diferentes de cada um de vocês. E aos poucos e poucos, e de mãos dadas, senti que nos fomos ligando por fios de alegria, de amizade, de ternura, de afecto e de grande partilha.
Partilhámos muito da nossa vida, da vida fora da escola. Desta partilha aprendemos a conhecer-nos melhor. Aprendi a perceber as vossas tristezas e preocupações, as vossas alegrias e as vossas euforias. Alguns de vocês aprenderam a conhecer-me tão bem, que sabiam ler nos meus olhos o que estava a sentir. Sinto-me muito feliz de vos ter mimado com palavras, com beijos, com abraços e com a minha grande ternura.
E vocês mimaram-me ainda mais! Vão-me acompanhar sempre esses mimos: os abraços, os beijos, os olhares ternos, os desenhos, as mensagens, tudo “prendas” que não seria capaz de trocar por nada. Umas estão guardadinhas no meu coração, outras enchem uma caixa de sapatos. Sei que irei visitar essa caixa sempre que sentir saudades do vosso carinho.
Obrigada por serem cúmplices dos meus sonhos e dos meus voos. Em vocês fui, muitas vezes, buscar forças para apagar alguns cinzentos que teimaram em pintar a minha vida.
No campo dos afectos, que mais podia ter? Julgo que mais nada e por isso, fui e sou muito feliz como professora. Sou uma professora e uma pessoa com muito orgulho de vocês.
Espero ter correspondido às vossas expectativas, aos vossos desejos, aos vossos sonhos de criança. Por alguma coisa menos boa ou menos justa, peço-vos, outra vez, muitas desculpas.
Relembro que podem sempre contar comigo, hoje e amanhã, para os vossos momentos bons e para os menos bons, porque vão tê-los.
Deixo-vos o último conselho de amiga “Lutem sempre por aquilo que desejam, não deixem morrer os vossos sonhos, cresçam por caminhos de amizade e de lealdade”.
Felicidades e muitos beijinhos da professora que vos adora,

Rita Carrapato

ÁLBUM FOTOGRÁFICO

6 comentários:

Vera disse...

Uma festa realmente, de dois anos e quem sabe... de uma vida!
Uma carta cheia de sentimento e orgulho. Excelente :)

Beijinhos

Anónimo disse...

Esse momento foi nem sei dizer mas acho que foi o melhor momento de todos

bjs bons!!!!!!!!!

Raquel

Anónimo disse...

Tens razão!
margarida

dumbo disse...

professora eu acho que nos sentiamos assim porque era mais uma professora que não conhesiamos mas a minha avo assim que a viu sentei qyue era um aboa professora
mas agora adoramosla

ASS:Ana Almeida

Anónimo disse...

Ana Almaida:

Escrevestes com muitos erros tipo como adoramos-la esvrevesse assim não é assim adoramola isso está com um erro.Vê se começas a escrever melhor.Tenta todos os dias para escreveres correctamente!


BJKS

Anónimo.

Anónimo disse...

eu nao sei descrevelo mas so sei quando abracei a professora me lembrei de tudo momentos maos e feliz . as festas de anos , os passeios e as nossas conversas. era tao bom se o tempo recua-se um bocadinho para relembrar estes sentimentos. beijinhos da ines viegas